IDOLATRIA


A queda de Diana Quando Paulo deixou Éfeso

 Será que é só coincidência ou os Ídolos que eram adorados, venerados ou como queiram chamar (porque falam de mode sutil amoroso, dizem que não, mais as rezas denuncia...), os que antes eram cultuados seculos passados e estão sendo cultuados agora por algumas religiões? só mudaram os nomes.....
Diana tinha sido enfraquecida e espancada severamente. Mas ela não foi tirada de cena total­mente. Paulo não tinha confrontado ela no "tête-à-tête" nem entrado no seu templo em guerra espiritual a nível estratégico. Os artífices acusaram-no de ter feito isto, mas eles não podiam provar as acusações no tribunal. Diana tinha perdido muito do seu poder por causa da batalha espiritual agressiva de Paulo a nível solo e a nível oculto. O império das trevas é interligado e o que acontece em qualquer um desses três níveis afeta os ou­tros níveis e toda a estrutura de Satanás.
Deus escolheu o apóstolo João para executar o assalto fron­tal. A história subseqüente, não o livro de Atos, nos conta que alguns anos depois que Paulo deixou Éfeso, João mudou para lá para terminar sua carreira. Ramsay MacMullen, um historiador bem conhecido e professor na universidade de Yale, nos contam do ministério de João em Éfeso com detalhes muito inte­ressantes na área de batalha espiritual a nível estratégico. MacMullen, um especialista na história do Império Romano, escreveu um tratado escolar chamado A Cristianização do Im­pério Romano dos anos 100 à 400. Nesse tratado, ele argu­menta que o fator principal para a conversão do Império Ro­mano ao cristianismo foi a expulsão de demônios. Ele dá muitos exemplos de batalha espiritual em seu livro.
Um desses é a história do apóstolo João e o seu confronto tête-à-tête com a Diana de Éfeso. MacMullen, citando fontes históricas, diz que João, em contraste de Paulo, entrou no tem­plo da Diana para fazer guerra espiritual. Ele diz, no próprio templo da Diana, João orou: "Oh! Deus... em cujo nome todo ídolo e todo demônio e todo poder imundo foge; que o demônio desse lugar desse templo fuja ao Seu Nome...". Enquanto João estava dizendo isto, de repente, o altar da Diana rachou em muitos pedaços e a metade do templo caiu (página 26 do seu livro).MacMullen continua dizendo que esse encontro de poder trouxe multidões dos éfésios à fé em Cristo. Então ele comen­ta, como um historiador profissional na razão pela qual ele crê que isso, junto com outras coisas semelhantes na evangelização do Império Romano, deve ser aceito como historicamente vá­lido.
Dentro de 50 anos depois desse evento, praticamente nin­guém do Império Romano cultuava a Diana. Seu culto foi re­duzido a uma sombra do que era antes de Paulo e João irem a Éfeso. E a cidade de Éfeso se tornou o centro do cristianismo mundial para os próximos 200 anos.

 Declarar a sabedoria de Deus aos principados

Paulo expressa aos Efésios seus desejos ardentes de que a sabedoria multiforme de Deus seja manifesta pela igreja aos principados e potestades nas regiões celestiais (Efésios 3:10). Este é um outro comando que vem do Cabeça ao corpo, e diz explicitamente que a igreja deve fazer esta declaração aos poderes do mundo invisível. Há muitas interpretações do que exatamente isso significa, mas uma dessas é que devemos de­clarar o Evangelho do Reino de Deus.
A Igreja em ação e também em palavra deve relembrar aos espíritos territoriais a respeito de lugares como Éfeso onde o Reino de Deus invadiu o domínio das trevas a começar com a vida, morte, ressurreição de Jesus Cristo, e que o deus dessa era, não irá cegar mais as mentes dos que não crêem ao glorio­so Evangelho de Cristo em Éfeso, na Turquia, no Japão, em Nepal, em Calcutá, ou em qualquer outro lugar. Esse tipo de declaração de guerra há de surtir reações negativas e retaliações das forças do mal e da batalha espiritual que engajamos. Um dos maiores apóstolos do avivamento extraordinário da Ar­gentina, agora no 15o ano, é o evangelista Carlos Annacondia. Em praticamente cada uma das suas reuniões, ele literalmente declama a sabedoria de Deus ao diabo e aos principados espi­rituais que estejam na vizinhança. Muitas vezes eu ouvi ele fa­zer isso em voz bem alta e com uma unção poderosa do Espí­rito Santo. O título do seu novo livro é: "Escuta-me Satanás!" Quando este brado de guerra sai noite após noite, coisas começam a acontecer. Demônios se manifestam e são expulsos, enfermos são curados milagrosamente e pecadores correm para a plataforma para se converterem.
Mais de dois milhões de pessoas nasce­ram de novo em suas campanhas até agora.

Fonte:Confrontando A Rainha dos Céus
 C. Peter Wagner

Leave a Reply